sábado, 29 de junho de 2013

Em Cima Em Baixo - By Correio da Manhã

É caricato quando abrimos o Jornal Correio da Manhã e reparamos na comparação que se faz entre Bruma jogador do Sporting e Maria do Céu Albuquerque, cada um campeão do seu Jogo.
Pelos vistos Bruma marca golos e Maria do Céu gasta dinheiro.
Agora o Pato questiona quem irá ganhar o campeonato?

Esperemos que a Senhora seja desclassificada pois nem na Liga de Honra tem entrada, mas gostamos do beicinho da foto!

Esperemos que não haja sopa de beiço com azeite por cima...


sexta-feira, 28 de junho de 2013

As Oliveiras!

Afinal a Montanha Pariu um Rato e foi descoberta mais uma super compra da Sra. Presidente.
Mas quando é que alguém se decide a investigar estas compras e desvios de dinheiro?

Sera que esta Senhora vai apanhar a azeitona para fazer azeite? ou ainda vai por os funcionários da Câmara a apanhar e moer e dar-lhe o azeite, ou provavelmente irão exportar o azeite e aumentar os lucros camarários, para dar aos Boys deste PS Abrantino!


O Pato gosta especialmente desta frase... "é uma opção conscientemente estratégica. O concelho pretende afirmar a sua importância na produção de azeite" 
De facto esta compra deve mesmo mudar o paradigma na qualidade dos "azeites"...

Estamos perdidos, a quem isto está entregue

O Pato tem a certeza que esta Senhora se deveria DEMITIR e fazê la pagar por tudo o que tem feito até hoje!

Extinção dos Bombeiros Municipais e Favorecimentos à Associação Humanitária Bombeiros Voluntários de Abrantes com transferências de 620 mil euros anuais, e favorecimentos aos corpos Sociais
Processos em Tribunal, em que um dos últimos reflecte a modica quantia de 6,7 milhões Euros
Penhoras de Bens Municipais caso BNP Paribas
Caso RPP Solar
Má Gestão Autárquica
e muitos outros...

QUE MAIS??? QUE MAIS ESPERA ESTA CIDADE!!!!

Pena que o Correio da Manhã não tenho escrito que essa empresa de Proença a Aeroflora, também tem nas suas fileiras um dos elementos da Sociedade Civil dos Bombeiros, pertencente à Comunidade Agrícola Regional.


AS OLIVEIRAS NO CORREIO DA MANHÃ - 28/6/2013


Autarquia liderada pela socialista Maria do Céu Albuquerque comprou árvores por ajuste direto a empresa do pai e irmã do seu homólogo de Proença.

A Câmara de Abrantes gastou mais de 60 mil euros em 30 oliveiras para colocar no recinto do centro escolar da freguesia de Alferrarede. A autarquia, liderada por Maria do Céu Albuquerque (PS), que se candidata a novo mandato, adquiriu as árvores por ajuste direto a uma empresa da família do presidente da Câmara de Proença-a-Nova, João Paulo Catarino (PS).

A informação é pública e pode ser consultada no portal ‘BASE.gov’. A 16 de abril de 2013, a Câmara de Abrantes adquiriu por ajuste direto "trinta oliveiras centenárias" por 50 950 euros, mais IVA, à empresa Aeroflora. O assunto despertou a curiosidade dos vereadores do PSD, que questionaram a presidente da autarquia sobre as razões que levaram a câmara a pagar mais de dois mil euros por cada árvore, quando a própria é dona de diversos olivais no concelho.

Segundo o vereador Santana-Maia Leonardo, Maria do Céu Albuquerque explicou que "se tratava de oliveiras seculares e que estavam abrangidas pelo projeto inicial" do centro escolar. O facto de estarem orçamentadas no projeto não explica por que razão a autarquia procedeu a um ajuste direto há três meses, e quase um ano depois de o equipamento ter sido inaugurado.

A Aeroflora tem como sócios-gerentes Acácio Catarino e Célia Cristina Catarino, o pai e a irmã do presidente da Câmara de Proença-a--Nova, João Paulo Catarino. A Câmara de Abrantes diz que a compra "é uma opção conscientemente estratégica. O concelho pretende afirmar a sua importância na produção de azeite".

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Voluntariado - Tempo Livre ao Serviço dos Outros

O Pato, gostou do que viu, mas infelizmente o Voluntariado não existe, principalmente na AHBV Abrantes, onde o Voluntariado é pago a peso de ouro, segundo tivemos oportunidade de tomar conhecimento, já existem alguns elementos a assinar documentos para lhe ser ressarcido os valores em divida! Esperemos que não seja mais nenhuma falcatrua para esconder o destino dos dinheiros públicos, porque alguém vai ter que explicar muita coisa, não é senhor comandante?


Princípios do Voluntariado

Embora esteja apenas relacionado com a vontade de cada um, o voluntariado está juridicamente enquadrado, a nível nacional, pela Lei n.º71/98, de 3 de Novembro e pelo Decreto-Lei n.º389/99, de 30 de Setembro, onde se afirma que o Estado “reconhece o valor social do voluntariado como expressão do exercício livre de uma cidadania activa e solidária e promove e garante a sua autonomia e pluralismo” (Artigo 5.º da Lei n.º71/98).

Quais os Direitos do Voluntário?

A lei portuguesa enumera claramente os direitos e os deveres associados à figura do voluntário, a saber:
Ter acesso a programas de formação inicial e contínua, tendo em vista o aperfeiçoamento do seu trabalho voluntário;
Dispor de um cartão de identificação de Voluntário;
Enquadrar-se no regime do seguro social voluntário, caso não esteja abrangido por um regime obrigatório de segurança social;
Exercer o trabalho voluntário em condições de higiene e segurança;
Faltar justificadamente, se empregado, quando convocado pela entidade promotora, em caso de missões urgentes, situações de emergência, calamidade pública ou equiparadas;
Receber as indemnizações, subsídios e pensões, bem como outras regalias previstas na lei, em caso de acidente ou doença contraída no exercício do trabalho voluntário;
Estabelecer com a entidade promotora um programa de voluntariado que regule as suas relações mútuas e o conteúdo, natureza e duração do trabalho voluntário que vai realizar;
Ser ouvido na preparação das decisões da entidade promotora que afectem o desenvolvimento do seu trabalho voluntário;
Beneficiar de um regime especial de utilização de transportes públicos;
Ser reembolsado das importâncias despendidas no exercício de uma actividade programada pela entidade promotora, desde que inadiáveis e devidamente justificadas, dentro dos limites estabelecidos;
As faltas justificadas contam como tempo de serviço efectivo e não podem implicar perda de direitos e regalias;
A qualidade de voluntário é compatível com a de associado, de membro dos corpos sociais e de beneficiário da entidade promotora onde exerce voluntariado.

Quais os Deveres dos Voluntários?
Respeitar os princípios deontológicos que regem a actividade que realiza;
Observar as normas que regulam o funcionamento da entidade promotora e dos respectivos programas ou projectos;
Actuar de forma diligente, isenta e solidária;
Participar nos programas de formação destinados aos voluntários;
Zelar pela boa utilização dos recursos e dos bens, equipamentos e utensílios postos ao seu dispor;
Colaborar com os profissionais da entidade promotora, respeitando as suas opções e seguindo as suas orientações técnicas;
Não assumir o papel de representante da entidade promotora sem o conhecimento e prévia autorização desta;
Garantir a regularidade do exercício do trabalho voluntário de acordo com o programa acordado com a entidade promotora;
Utilizar devidamente a identificação como voluntário no exercício da sua actividade de voluntariado.

A Lei define como princípios do voluntariado:
Solidariedade – Responsabilidade de todos os cidadãos na realização dos fins do voluntariado;
Participação – Intervenção de voluntários e de entidades promotoras em áreas de interesse social;
Cooperação – Concertação de esforços e de projectos de entidades promotoras de voluntariado;
Complementaridade – O Voluntário não deve substituir os recursos humanos das entidades promotoras;
Gratuitidade – O voluntário não é remunerado pelo exercício do seu voluntariado;
Responsabilidade – O voluntário é responsável pelo exercício da actividade que se comprometeu realizar, dadas as expectativas criadas aos destinatários desse trabalho voluntário;
Convergência – Harmonização da actuação do voluntário com a cultura e objectivos da entidade promotora

O Primeiro Curso de SGA nos Municipais de Abrantes

No Seguimento de um Post que o Pato colocou sobre o Acidente do Pouchão que poderá relembrar neste link O Comandante e o Acidente do Pouchão

Voltamos a Questionar, onde andavam os elementos formados em Técnicas de Salvamento em Grande Ângulo, formados no Corpo de Bombeiros Municipais de Abrantes por um Formador da Escola Nacional de Bombeiros?

Não havia? Não estavam Disponíveis? Estavam presentes no local mas não desceram as cordas?

Meras Questões, estas e muitas outras mais!... Infelizmente


Fotos do Primeiro Curso de Salvamento em Grande Ângulo ministrado no Corpo de Bombeiros Municipais de Abrantes
Casa Escola Sardoal - Curso SGA Municipais Abrantes

Penedo Furado - Curso SGA Municipais Abrantes

Penedo Furado - Curso SGA Municipais Abrantes

Penedo Furado - Curso SGA Municipais Abrantes

Penedo Furado - Curso SGA Municipais Abrantes

Antigo Quartel Largo Santana - Curso SGA Municipais Abrantes





terça-feira, 25 de junho de 2013

Município, Bombeiros e Oliveiras

Aquando o inicio de alguns problemas nos Bombeiros Municipais de Abrantes, principalmente criados por aqueles que queriam subir ao trono e que por sua vez uns conseguiram outros nem por isso, ainda esta na memoria a "guerra" do Cmdt João Pombo e que muitos já "choraram" por ele, temos a completa certeza documental de que os maiores problemas remontam desde 2006 e todos sabem porque!
Iniciaram-se algumas guerras sindicais por motivos que facilmente eram resolvidos, mas que nem o Comandante nem o Município tiveram interesse em resolver.
No entanto, um dos maiores problemas que os Bombeiros em Abrantes padecem é de falta de pessoal, sabemos que neste momento tem sido convidados Bombeiros de outros Corpos de Bombeiros como até de outros distritos para se apresentarem ao serviço em Abrantes e digo que muito bem pagos, mas anteriormente o Município sempre disse que queria reduzir verbas, porque com os Municipais o Município gastava muito dinheiro, e como sabemos neste momento o Município duplicou a verba gasta, esperemos que a nascente não seque.
Foi recusada a proposta do trabalho por turnos porque o Município iria gastar com os seus bombeiros mais dinheiro e não podia, agora pensa o Pato:

         - Não há dinheiro para abrir concurso de pessoal para os Municipais, não há dinheiro para o trabalho por turnos, mas há 60.000 Mil Euros, para gastar em 30 Oliveiras para plantar numa Escola!





Chamo a isto uma GESTÃO DE DINHEIRO PÚBLICOS DE EXCELÊNCIA....
OLIVEIRAS SECULARES???... os Bombeiros Municipais também tinham 164 Anos e foram Extintos por esta Presidente, será que também estava no projecto?

AS 30 OLIVEIRAS DO CENTRO ESCOLAR DE ALFERRAREDE
Pedido de esclarecimento dos vereadores da Câmara de Abrantes eleitos pelo PSD

Corre nos blogues a informação de que a autarquia teria gasto cerca de 60.000,00€ na aquisição de trinta oliveiras da Sertã para enfeitar o recinto do Centro Escolar de Alferrarede (vide foto).

Num período de tão grande aflição e sofrimento social e quando a Câmara Municipal apenas afectou a quantia 50.000,00€ ao programa do Banco Social, o preço pago por estas trintas oliveiras, a ser verdade, seria tão chocante e revelaria uma insensibilidade social tão grande (ainda que socialista) que nos recusamos a acreditar que seja verdade.

Em todo o caso, não podemos deixar de colocar a questão, até porque os socialistas conseguem sempre surpreender-nos quando se trata de insensibilidade social em termos práticos.

---
Resposta da presidente da câmara: Confirma, justificando com o facto de se tratar de oliveiras seculares e estarem abrangidas pelo projecto.
---

sábado, 22 de junho de 2013

Comentário enviado ao O Mirante - Vale a Pena Ler!

Depois de ter saído no Jornal O Mirante esta informação prestada por um leitor NOTICIA, um dos Bombeiros Profissionais do extinto corpo de Abrantes decidiu dar resposta ao mesmo em sua defesa e em defesa do trabalho que prestou durante 19 anos da sua carreira desperdiçada um prol de um grupo de amigos que decidiu esbanjar dinheiros públicos assim como achamos que é importante esta divulgação por vermos a realidade do trabalho prestado e para que as pessoas saibam e ouçam as duas partes e sempre em prol da verdade.




"E se o senhor se informasse melhor sobre o assunto antes de vir opinar publicamente sobre o que não sabe.Nem tudo o que sai na comunicação social é verdade por isso senhor Fernando Mestre deixe de opinar sobre pessoas que não conhece e que não lhe reconhecem o direito de suspeitar da sua real cidadania e dedicação.
E para terminar gostaria de lhe dizer isto.
Desejava que compreendessem o que sou hoje !! 

Desejava que pudesses ver a tristeza de um homem de negócios quando o trabalho da sua vida desaparece em chamas ou uma família que regressa a casa e apenas encontra a sua casa e os seus pertences danificados ou destruídos. 

Desejava que pudesses saber o que é procurar num quarto a arder por crianças presas... As chamas por cima da tua cabeça, as palmas das mãos e os joelhos a queimaram enquanto tu rastejas... O chão a ranger com o teu peso, enquanto a cozinha arde por baixo de ti. 

Desejava que pudesses compreender o horror de uma esposa quando às 3 da manhã verifica que o marido não tem pulso... 
Inicio o S.B.V. (suporte básico de vida) no mesmo, esperando uma hipótese muito remota de trazê-lo de volta... Sabendo instintivamente que era tarde demais... 
Mas querendo que a família soubesse que tudo o que era possível foi feito. 

Desejava que pudesses saber o cheiro único de uma queimadura, o gosto da saliva com sabor a fuligem... Sentir o intenso calor que passa através do equipamento, o som dos estalos das chamas, a sensação de não conseguir ver absolutamente nada através do fumo denso... Sensações que se tornaram muito familiares para mim... 

Desejava que pudesses compreender como nos sentimos ao ir para o trabalho de manhã após passarmos a maior parte da noite suando com o calor de diversas chamadas de fogo... 

Desejava que pudesses ler o meu pensamento quando respondo a uma chamada para um edifício a arder, "Será falso alarme ou um enorme incêndio? Como será a construção do edifício? Que perigos esperam por mim? Estará alguém lá dentro ou saíram todos?" 
"Ou para uma chamada de socorro," o que se passará com o doente? Será que a pessoa que telefonou está mesmo em apuros ou estará à minha espera com uma arma?". 

Desejava que pudesses estar na sala de emergência quando o médico decide anunciar a morte da linda menina de cinco anos que tenho tentado salvar durante os 25 minutos anteriores, e que nunca irá ter o seu primeiro namorado, nem nunca mais irá dizer "gosto muito de ti, mãe"... 

Desejava que pudesses saber a frustração que sinto na cabina do veiculo de combate a incêndios, o motorista com o acelerador a fundo, a sirene vezes sem conta quando não se consegue passar por um cruzamento ou no meio do transito. Quando vocês precisam de nós, no entanto, o primeiro comentário quando chegamos será "levaram muito tempo para cá chegar". 

Desejava que pudesses ler os meus pensamentos enquanto ajudo a retirar os restos de uma jovem do seu veículo contorcido,” e se fosse a minha irmã a minha namorada ou alguma amiga? 
Qual será a reacção dos seus pais quando abrirem a porta e depararem com alguém para lhes darem a trágica noticia?" 

Desejava que pudesses saber como é entrar em casa e cumprimentar a família não tendo coragem para lhes dizer que quase não voltei da última chamada. 

Desejava que pudesses sentir os meus sentimentos quando as pessoas 
verbalmente, e às vezes fisicamente, nos maltratam ou subestimam o que 
fazemos, ou quando têm a atitude "isto nunca me aconteceria". 

Desejava que pudesses perceber a instabilidade mental, emocional e física de refeições perdidas, sonos perdidos e a falta de actividades sociais associadas todas as tragédias que os meus olhos já viram. 

Desejava que pudesses saber a irmandade que existe e a satisfação de ajudar a salvar uma vida, a preservar as coisas de alguém, a estar "lá" nos tempos de crise ou a criar ordem quando existe um caos total. 

Desejava que pudesses compreender como nos sentimos quando temos uma criança a puxar-nos o braço e a perguntar "a minha mãe está bem?" sem sequer conseguir olhar nos seus olhos sem deixar cair umas lágrimas e sem saber o que responder. Ou ter de segurar um amigo de longa data enquanto o seu companheiro vai na ambulância a receber respiração boca-a-boca. 
Sabendo de antemão que ele não trazia o cinto de segurança posto. 

Desejava que soubesses o que sentem os familiares daqueles que falecem em prol do próximo e muitas das vezes são criticados por aqueles que sempre que estão em apuros por nós chamam sem hesitar. 

Desejava que percebesses o que é sair para uma ocorrência mas não saber se voltas, porque quando os outros vêm a fugir nós vamos a dirigir-nos para lá. 

Podemos não voltar mas Vamos! 

Sensações que me ficaram muito familiares... 

A menos que tenhas vivido este tipo de vida, nunca conseguirás entender 
verdadeiramente ou apreciar 

QUEM EU SOU, O QUE NÓS SOMOS OU O QUE O 


NOSSO TRABALHO SIGNIFICA REALMENTE PARA NÓS… 

Enfim desejava que pudesses.... 

Um bombeiro que abdicou da sua família e da sua vida particular durante 19 anos de dia e de noite para salvaguardar bens e pessoas como o Senhor Fernando Mestre. 

Paulo Nascimento 

Comentário enviado ao Jornal O Mirante em resposta ao Senhor Fernando Mestre"

quinta-feira, 20 de junho de 2013

A Instabilidade dos Vencimentos

Reina um clima de instabilidade no seio dos colaboradores da Associação de Bombeiros de Abrantes, que pelos vistos tem na sua correspondência os vencimentos auferidos por alguns elementos, que tem sido solicitados a desempenhar funções em Abrantes.
Estão a ser contratados/solicitados elementos pertencentes a outros corpos de bombeiros do distrito e fora dele, para desempenharem funções a tempo inteiro na AHBV Abrantes, com ordenados acima da média dos restantes elementos e até mesmo muito acima do que auferiram durante muitos anos muitos profissionais do extinto corpo Municipal.
Falamos em vencimentos de 800€, 900€ e ate 1100€? Suscita a duvida nos valores...

Então, onde anda a tão falada equidade no tratamento dos elementos que o seu presidente queria e o "tal" virar de uma página?

São situações deste tipo que ferem de morte uma Associação de Bombeiros, são situações destas que malham repetidamente os seus elementos! Os Bombeiros têm que ser tratados com igualdade..

E queria a AHBVA que os Funcionários do Município fossem cedidos! Para se submeterem a estas situações? Não vale a pena...


O Pato

O Peculato o Municipio e a Abrantes

O Município de Abrantes na pessoa da Sra. Presidente Maria do Céu Albuquerque, disse e reafirma nos Media todos os dias que irá proceder judicialmente contra a Associação Nacional de Bombeiros Profissionais e contra o Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais, por achar que se sente lesada pela constatação por parte dos sindicalistas de falta de segurança em Abrantes e também por achar falsas as alegações escrutinadas no Jornal distribuído em Abrantes.
Essa acção judicial inicia-se com a abertura de um Processo no Ministério Publico e muito bem!

Mas só esperemos que não hajam dissabores neste processo.

Na Malveira foi assim!

Jornal Correio da Manha - Noticia de 20 de Junho de 2013

Bombeiros Profissionais denunciam risco de segurança de Abrantes



terça-feira, 18 de junho de 2013

Resposta a um Comentário

Alguns anónimos tem comentado alguns posts, que temos colocado aqui, para falar sobre eles e por vezes até tirar algumas duvidas.
Alguém realçou um ideia que durante o incêndio na cidade, que 3 veículos de combate dos Extintos Municipais de Abrantes (VFCI01, VFCI08 e VTTU01), alegadamente tinham estado num café junto ao prédio girassol, " a tomar algo" com um elemento de comando de fora, no entanto o anónimo esqueceu-se de referir que também estavam presentes 2 elementos de comando de Abrantes e que todos os elementos que estavam presentes estavam a desempenhar as suas funções Voluntariamente  fora do seu horário de trabalho e que as operações de rescaldo nesse sector do incêndio estavam concluídas.
E esqueceu-se de referir também que se encontraram elementos à chuva dos Municipais de Abrantes ate as 00h dessa noite a efectuar operações de rescaldo a mando do comandante.
Achamos de todo interessante alguns comentários que nos colocam, pois, só mostra a falta de conhecimento de causa.
E já para finalizar, quando falamos sobre o incêndio  foi de forma a demonstrar a falta de operacionalidade do comandante nas decisões erradas que tomou e não a por em causa o excelente trabalho e a forma dedicada como todos os bombeiros lá deram o seu melhor.

Também podemos referir que o comandante, sancionou alguns elementos que lá estiveram presentes a ajudar os colegas, só porque não estavam fardados. (pormenores)

Comentario
Bem, como alguns veículos (Três)(VFCI01;VFCI08; VTTU01) do extintos Bombeiros Municipais de Abrantes de encontravam parados junto a um café no prédio Girassol e os seus elementos a tomarem algo (....), com um elemento de comando de fora. Enquanto elementos de corpos de bombeiros de fora e também a coluna de Castelo Branco efectuavam rescaldo a toda a area

segunda-feira, 17 de junho de 2013

RELATÓRIO SOBRE ACIDENTE DE VIAÇÃO QUE VITIMOU BOMBEIRA

RELATÓRIO SOBRE ACIDENTE DE VIAÇÃO QUE VITIMOU BOMBEIRA

Esclarecimento da presidente da câmara

A Presidente da Câmara referiu-se a um assunto que, segundo disse, merece o melhor dos respeitos, mas que tem sido utilizado de forma leviana por parte de algumas pessoas. A morte da Bombeira Paulina Pereira que tem sido utilizada para achincalhar a Câmara Municipal e a sua Presidente.

Referiu-se à questão colocada em pedido de esclarecimentos apresentado pelos vereadores eleitos pelo PSD e, mais concretamente, quanto à existência de relatório sobre o acidente de viação que vitimou a bombeira Paulina Pereira. Deu conta de uma informação dos serviços jurídicos da Divisão Jurídica, referindo que não existem normas/regulamento interno que regulem a utilização das viaturas dos bombeiros, de onde pudesse resultar alguma norma especial que impusesse a abertura de inquérito interno no caso concreto. Do Decreto-Lei nº 503/99, de 20 de novembro, na atual redação (diploma que estabelece o regime jurídico dos acidentes de trabalho e das doenças profissionais ocorridos ao serviço de entidades empregadoras publicas), para além do dever de participação do acidente, também não decorre a obrigatoriedade de abertura de inquérito numa situação de ocorrência de acidente.

Por outro lado, segundo o Estatuto Disciplinar dos Trabalhadores que exercem Funções Públicas pode ser ordenada a abertura de inquérito com vista a apurar determinados factos suscetíveis de constituírem infração disciplinar, ou seja, a abertura de inquérito justificar-se-ia caso se suspeitasse da prática de alguma infração disciplinar, definida como o comportamento do trabalhador, por ação ou omissão, ainda que meramente culposo, que viole deveres gerais ou especiais inerentes à função que exerce. No juízo feito não se evidenciou, à partida, a existência de ato culposo por parte de trabalhador municipal, que devesse ter tratamento autónomo para além do inquérito das autoridades policiais. Não foi aberto qualquer inquérito pelo corpo de Bombeiros pela razão de, tratando-se de acidente com vítimas mortais, competir ao Ministério Público determinar a realização desse inquérito. As causas do acidente estão a ser apuradas no âmbito do processo de inquérito nº 226/12.4GBABT.

O vereador Santana-Maia disse que na reunião de câmara seguinte ao acidente foi referido, e indo também ao encontro do que foi sugerido pelos vereadores Santana-Maia e Carlos Arês, que iria decorrer um inquérito interno.

A Presidente da Câmara respondeu reforçando que existe um inquérito a decorrer no Ministério Público, ainda sem despacho final, e que não foi feito qualquer inquérito ou processo disciplinar porque existem entidades competentes para o fazer. Lendo a ata da reunião de 23 de julho de 2012, disse que não consta da mesma a abertura de procedimento interno.

O vereador Santana-Maia Leonardo disse que até pode compreender que, na altura, não se tivesse entendido o alcance daquilo que ele próprio e o Dr. Carlos Arês disseram quando sugeriram a abertura de um inquérito, mas parece óbvio que, sendo ambos advogados, nunca poderiam exigir a abertura de inquérito ao nível da GNR – Guarda Nacional Republicana porque sabem que isso é automático, independentemente da vontade das partes, sempre que ocorra um acidente com vítimas.

domingo, 16 de junho de 2013

A Escala que fez Azia aos Voluntários

Lendo alguns comentários que nos tem chegado, reparo que muitos Voluntários ficam com Azia por causa de uma escala de serviço que foi efectuada pelos Bombeiros Municipais/Funcionários e como devem compreender não cabe ao Pato falar sobre esse Assunto, quem a fez que se pronuncie, mas posso acrescentar que essa escala foi feita durante 1 mês, porque pura e simplesmente os Voluntários deixaram de aparecer porque não lhes pagavam se bem se lembram, no primeiro dia a seguir ao fim do pagamento compareceram 2 elementos a formatura da noite e o senhor comandante chegou a pedir por favor dizendo mais umas mentiras e prometendo o que não cumpriu, não se esqueçam que ainda existem funcionários que ainda não receberam o pagamento dessas horas, é só mais um processo que esta em tribunal!
Acho que não é legitimo estarmos aqui a falar de escalas que foram feitas para assegurar o Socorro em Abrantes pelos funcionários do Município que com toda a legitimidade para trabalharem tem de ser pagos, quando até este momento se pagam valores pela "porta do cavalo" a muitos que por la andam ou já andam esquecidos dos dias de ferias a mais que foram dados pelos serviços feitos a mais que foram pagos a 2 euros/hora, então, existiu pagamentos em duplicado?
Então e o dinheiro que alguns funcionários receberam a mais no vencimento para dar a outros bombeiros, para que se camufla-se o pagamento?
Então e Funcionários que neste momento se encontram na AHBVA, que recebiam pagamentos a 2euros/hora e horas extraordinárias como funcionários, situações essas com conhecimento do comandante, por serviços efectuados como voluntário.

Então e a promessa que o senhor comandante fez a um bombeiro profissional, que não fazia trabalho voluntário que passava situação económica frágil, de esse bombeiro efectuar serviço voluntário e prometia-lhe mais dinheiro ao fim do mês?

Querem dizer também que o XXXX, veio do concelho de Ourém para a AHBVA ganhar o ordenado mínimo? Obviamente que não.
E queria o Senhor Presidente da AHBVA que os bombeiros funcionários do Município ficassem a ganhar o mesmo com um aumento de 1,5% mensal!

Então e o SP, bombeiro em Abrantes foi retirado da escala de serviço e posteriormente informado a sair do corpo de bombeiros porque não é uma pessoa bem vinda? Fala demais?

O António e o João também não eram bem vindos e no entanto ESTÃO LÁ! Dão-se com as pessoas certas...

Andamos todos esquecidos ou comem muito queijo!

E os Roubos de Fardamento?
E os Roubos de Combustível?
E os Bombeiros apanhados no balão?
à pois, era protegido...pois porque era só um que roubava!

IGUALDADE NÃO EXISTIU NESTE PROCESSO...

Quando se fala também na formação dos tripulantes, as pessoas não se podem esquecer que é formação Obrigatória em ABSC andar um Tripulante Ambulância Socorro, no entanto é verdade que muitos Tripulantes de Ambulância Transporte tem mais capacidades que alguns TAS, no entanto quanto a factos não há argumentos e TAS é Obrigatório em ABSC, as leis quando são feitas, são para todos e não só para alguns, mas nesta AHBVA tudo é possível.

O Pato

Foi retirado o Nome do Bombeiro que foi retirado da escala, porque feriu susceptibilidades, no entanto os restantes nomes permanecem, foi-nos dado a informar que nao poderemos falar de empresas sem consentimento das mesmas, no entanto em nenhum post aqui colocado se fala em Empresas da região, falamos sim em Associações Humanitárias SEM FINS LUCRATIVOS.
Obrigado

sábado, 15 de junho de 2013

Mais Fotos da Manifestação

AS  2 PEDRAS NO SAPATO DA CÉU












MARCHAS POPULARES - OCidadaoABT

Roubado ao Cidadão Abt - http://ocidadaoabt-cronicas.blogspot.com.es/2013/06/marchas-populares.html

MARCHAS POPULARES


Em Abrantes, as Festas da Cidade foram antecipadas em vinte e quatro horas por surpreendentes marchas populares, nada ficando como dantes, porquanto no vagar do Santo António, a partir de agora será idolatrada a Santa Mariazinha do Céu!



Nos primeiros instantes que cá o Cidadão se deparou com o aparato, supôs tratar-se de venerado manifesto religioso a jeito de procissão em honra à santinha cuja imagem estaria reproduzida nos pendões, mas depressa o esclareceram que não senhor, que aquele cortejo não constava de séquito religioso mas sim de marcha popular!

Resgatado das primárias ilusões, pela calçada foi rolando um fúnebre caixão blasonando a imagem da padroeira amparando-se no amuleto que produzirá o milagre da multiplicação dos€uros e distribuição dos tachos, cujas estampazinhas pejadas de frases religiosas eram sistematicamente oferecidas ao público presente...



A famosa gadanha da santa!!!


Colocando os neurónios do hipotálamo em uso, de imediato se formou a brilhante explicação que aquela equipe seria o staff de apoio à santinha patrocinada pela Jps (Jotapêésse), que iria pela primeira vez competir na prova de carrinhos de rolamentosmais famosa da região, algo até agora impensável numa milagreira! 
Vieram trupes de todo país e até da Madeira para desfilar nas marchas e assistirem à prova da virtuosa!



Vruuummmm... Vruuuummmmmm... Vruuuummmm... 
Cá o rapaz já imaginava a padroeira embalada por‘li abaixo, de penico na cabeça, bem escarratchada no caixão, e o pessoal torcedor bradando aos Céus, gritando a plenos pulmões: 
-"Santinha!!! Santinha!!! Santinha!!!! Vai! Vaaaai! Força, Santinha! Força! Não desistas!! Saltou-te um casquilho do rolamento mas não desistas agora, Santinha!!! Hás-de ganhar!!! Saaantinha!!! Embáála!!! Vai!! Santinha!!! Saaantiiiiinha!!! Saaantiiiiinha!!!! Vai, Santinha! Vais vencer isto! Vaáai!...Vai... Vai??!... vai... vai...?"
Mas...


Quê da protagonista numberwone da prova?


A explicação chegou mais adiante!


A venerada santinha padecerá de agorafobia pelo que se enclausurou no Joanino Convento, enviando Frei Serrano,abade de sua inteira confiança, ao encontro das coreografias que solicitando silêncio aos quinhentos marchantes, explicou-lhes que a santinha estava em retiro, em oração de concentração para a prova dos carrinhos de rolamentos e que de momento não podia ser incomodada... recitando o seguinte sermão:


-Porque diacho houveram os monges copistas assim redigir?
Enquanto isto, iam-se ouvindo cânticos de devoção como o “Demissão”,o “Coveira,” o “Bombeiro não é Coveiro,” o “Bombeiro Unido Jamais Será Vencido” e a versão feminista do celebérrimo “Demita-se, Senhor Presidente!”
Para quem assistiu não terá reparado que denunciando o carácter cívico do evento, a cauda do cortejo era rematada pela trupe do carro vassoura que discretamente ia recolhendo os resíduos sólidos rejeitados pelos convivas, deixando as ruas impecavelmente limpas à sua passagem, tendo-se por ali vivido vibrantes momentos de fortes comoções! 


O som estridente dos apitos e sirenes portáteis não deixavam perceber muito bem a letra das marchinhas que futricavam os tímpanos cá do Cidadão que estava a passar por uma tremenda crise de tinitus e ao fim de duas horas de franco convívio se foi ressentindo dos sérios e crescentes sentimentos de insegurança...



...na medida em que, se as marchas dessem para o torto, os presidentes do Sindicato e da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, ora padrinhos por co-adopção das marchas...


...seriam duplamente participados ao Ministério Público pelos crimes de lançamento de turbidez no processo dereestruturação do corpo de bombeiros, cuja transparência é de tal ordem que até deixa vislumbrar o processo da bombeira Paulina Pereira bem lá no fundo, cumulativamente ao de incentivo ao sentimento generalizado de insegurançainduzido na quão inteirada população de Abrantes cujas preocupações se remetem ao acautelar dos seus bens face àbandidagem que por aí prolifera, nada se relacionando com estas marchas populares que passam ao largo da maioria silenciosa!

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Tempo volta para trás... Socorristas Precisam-se

Que se passa em Abrantes nos seus Bombeiros Voluntários?
Alguém disse, num comunicado, que agora os Bombeiros de Abrantes têm a sua actividade de Socorro garantida e até melhorada.
Mas afinal, quantidade não é sinonimo de QUALIDADE.

Antigamente, no chamado tempo da outra senhora, para se ser Tripulante de veículos de Emergência Pré-Hospitalar,era necessário passar ao "crivo" dos elementos mais velhos e com mais formação, muitas horas de estagio, muitas horas de formação e ser capacitado para o serviço a que se pretendia.
Ou seja, não era assim tão fácil tripular uma ambulância de socorro sem que para tal alguém tivesse capacidades.
Então porque agora qualquer um serve?

Tem existido umas tripulações de veículos prioritários de bradar aos céus!

Não tem existido Tripulantes de Ambulância de Socorro nem Operacionais de Desfibrilhação de serviço... afinal era isto que alguém queria?

Afinal o Socorro não está garantido nem com qualidade nem em quantidade.

BOA SOCIEDADE CIVIL.... BOA SR COM.... BOA SRA CEO

O Pato vai ficar feliz no dia em que algum de voz necessitar de socorro a sério e que esteja 
nas mãos de um destes curiosos e inexperientes socorristas.

O Pato sabe que isto é verdade e esta desejoso para que o processo siga rapidamente para tribunal, para que se investigue rapidamente, sem medos.... 

O Pato


Revista Imprensa Manifestação de Abrantes











quarta-feira, 12 de junho de 2013

Meras Questões...

O Pato tem uma duvida e quando O Pato tem duvidas questiona ou pede a alguém para responder e assim sendo lança  o mote.

Dando seguimento as perguntas sem resposta, alguém nos explica qual o motivo de no decorrer do ano de 2002 o Município ter RECUSADO a saída de um Motorista de Pesados a desempenhar funções nos Bombeiros Municipais de Abrantes para o INEM - Instituto Nacional de Emergência Medica em Lisboa por concurso, alegando que necessitava desse elemento em serviço no corpo de bombeiros sendo imprescindível a sua dispensa?

Então, visto que esse elemento foi dispensado para outro serviço no Município deixando de desempenhar as funções de bombeiro, já não é necessário e imprescindível ao serviço no ano de 2013, pelos vistos 11 anos passados muito muda.

Já agora questiono também, será que os elementos convidados para desempenhar funções de Bombeiro na AHBV de Abrantes, provenientes de outros corpos de bombeiros do Distrito e fora dele, será que irão ganhar o mesmo vencimento que aqueles que lá queriam ficar? Ou houve ajustamentos de contratos/acordos conforme a pessoa que o assina-se? 

São Questões que gostariamos de ter resposta!
Alguem se atreve a responder?

O Pato

Algumas Fotos da Manifestação de Bombeiros